Papo de Cinema: Grandes Cineastas e suas Longas Pausas

Postado por Adriano Martins em 20.2.10

Por Vinicius Colares

Nos últimos dois meses, um dos principais assuntos dos cinéfilos do mundo todo, foi o retorno arrasador de James Cameron que depois de uma longa espera de 12 anos, voltou com mais um fenômeno de bilheteria, Avatar. E isso me trouxe a mente outros cineastas que passaram longos períodos longe das câmeras, ou por serem perfeccionistas demais ao ponto de dedicar anos a finco pensando em um projeto (categoria no qual Cameron se inclui) ou simplesmente por decidirem tirar “férias” da profissão.

James Cameron passou tanto tempo para lançar algo, porque depois do sucesso de Titanic, sabia que tinha que fazer algo único para se superar. Outro grande cineasta que vivia dilema semelhante, era Stanley Kubrick, perfeccionista ao extremo (tanto que detestava externas, pois no estúdio ele tinha total controle de tudo que filmava) passava cada vez mais tempo para lançar um novo projeto, nos anos 60, foi um filme a cada dois anos, já nos anos 70 foram apenas dois filmes, Laranja Mecânica (1971) e Barry Lindon (1975), o mesmo se repetiu nos anos 80, O Iluminado (1980) e Nascido para Matar (1987), foi então, que ele teve a idéia para o filme Inteligência Artificial, mas assim como Cameron adiou Avatar por falta de tecnologia, Kubrick também adiou a história do menino robô. No início dos anos 90 ele chegou a encomendar um robô animatrônico de Stan Winston antes de paralisar o projeto, após ver Jurassic Park percebeu que podia fazer o filme com o auxílio da computação gráfica, mas também percebeu que o amigo Steven Spielberg era mais indicado a dirigir o filme, passando o projeto para ele e ficando apenas como produtor. Em 99, filmou De Olhos Bem fechados, 12 anos após o anterior, e infelizmente faleceu enquanto estava finalizando a edição do filme.

Charles Chaplin também passou a demorar cada vez mais a lançar novos filmes, filmava muito na época do cinema mudo, após o lançamento do cinema sonoro no final da década de 20, e como era relutante ao som, sabia que se quisesse continuar a fazer filmes essencialmente mudos e competir com os falados, tinha que criar obras memoráveis, e criou, nos anos 30 foram apenas dois filmes (e que filmes!), Luzes da Cidade (1931) e Tempos Modernos (1936).

Mas o grande cineasta que acredito ter passado mais tempo sem dirigir absolutamente nada, foi Terrence Malick, dirigiu nos anos 70 dois filmes geniais, Terra de Ninguém (1973) e Cinzas do Paraíso (1978) e só retornou 20 anos depois, reunindo um elenco gigantesco para o belíssimo Além da Linha Vermelha (1998), mas 07 anos se passaram, e ele lançou O Novo Mundo (2005). Este ano estréia The Tree of Life, seu novo filme, depois de uma pausa de “apenas” 05 anos, o que para o “padrão Malick” significa que ele está trabalhando em ritmo acelerado.

Diretores

Depois da nova febre de filmes de zumbis, o criador dela, George A. Romero voltou à ativa, entre o Dia dos Mortos (1985) e o retorno a “zumbilândia” com Terra dos Mortos (2005), ele fez apenas três pequenos filmes que quase ninguém assistiu, agora já lançou mais dois, Diário dos Mortos (2007) e Survival of the Dead (2009). Roland Joffé diretor de A Missão (1985), também passou os anos 90 fazendo filmes menores e em 2000 fez Vatel – Um Banquete para o Rei e passou mais 07 anos para lançar o fraquíssimo Cativeiro (2007) em menor escala. Este ano, os Irmãos Hughes lançaram O Livro de Eli, novo filme com Denzel Washington, 09 anos após lançarem seu primeiro longa, Do Inferno (2001), e por fim o mestre Francis Ford Coppola, passou dez anos parado entre O Homem que fazia Chover (1997) e Velha Juventude (2007), dedicando-se mais a produção de filmes. E então, alguém lembra de outros cineastas “preguiçosos”?

10 comentários

  1. Rodolfo comentou:

    Grande texto, parabéns!
    E que falta que esses cineastas fazem em seus longos períodos longe das cameras!!!!

     

  2. FabioZen comentou:

    Estou a falar como leigo.John Carpenter é outro meio sumido(isso se for vivo),mas dia desses assisti um no estilo Alien,muito competente mesmo,mesmo com baixo orçamento.

     

  3. Thaís comentou:

    Peter Jackson, passou quatro anos entre King Kong e Um Olhar no Paraíso, e antes 7 anos parados entre os espiritos e Senhor dos Anéis, mas aí, o tempo foi todo preenchido se dedicancfo a trilogia, descanso ele não teve!

     

  4. arthur Godard comentou:

    Eu. Em média eu existe um intervalo de 50 anos entre cada clássico cinematográfico feito por mim.

     

  5. arthur Godard200x comentou:

    Eu. Em média existe um intervalo de 50 anos entre cada clássico cinematográfico feito por mim.

     

  6. Guto comentou:

    Boa, bem lembrado!

     

  7. Anônimo comentou:

    Bacana, lembrou bastante as conversas de cinéfilo que tinha no site do cinema em cena com o crítico Pablo Villaça!
    Quanto aos cineastas, Malick e Kubrick são os deviam ter trabalhado mais, mesmo assim os anos de espera de Kubrick valiam a pena, porque ele jamais decepcionou, os filmes mais fracos dele ainda sim, eram ótimos filmes!

     

  8. Anônimo comentou:

    eu não diria que eles são preguiçosos, apenas cuidadosos na escolha e execução dos projetos!

     

  9. Vinicius Colares comentou:

    Eu disse preguiçosos apenas de brincadeira, por isso as aspas, e concordo com você, principalmente com relação a Kubrick, Cameron e Chaplin, eles ficaram muito tempo sem dirigir, por serem cuidados e minuciosos em suas escolhas!

     

  10. Tcheurlly Silva comentou:

    eu gostei mto, serviu muito para meu trabalho da escola, vlw gente :D

     

Postar um comentário

Publicidade